As consequências Psicológicas da Endometriose.

A Endometriose, doença ginecológica crônica e progressiva, afeta entre 10 a 15% das mulheres em idade reprodutiva e caracteriza-se a partir da constatação de focos de endométrio fora da cavidade uterina.

De acordo com estudiosos da área, as mulheres não suspeitam de estarem com endometriose, até mesmo por desconhecerem tal doença, e procuram ajuda médica após terem quadros repetitivos de crises de dores pélvicas ou por estarem tentando engravidar sem sucesso.

 Outro fator muito frequente encontrado no histórico médico de mulheres com endometriose é a dificuldade no diagnóstico dessa doença, onde muitas relatam que as dores queixadas chegaram a ser consideradas como uma maneira delas chamarem a atenção para si.

Isto porque, a dor é invisível para aqueles que a não a sentem, o que propicia uma maior desqualificação dos quadros de dor crônica, principalmente, quando a quadro fisiológico que estaria causando a dor não é localizado, como ocorre comumente nos quadros iniciais de endometriose.

Alguns autores apontam que as consequências de ter o diagnóstico de endometriose não estão relacionadas apenas com a saúde física, mas com aspectos sociais, de relacionamento conjugal e profissional dessas mulheres, fragilizando, assim, sua vida emocional. Visto que, entra como um dificultador, até mesmo, nos planos dessa mulher em se tornar mãe. Isso porque, os maiores impactos na vida dessas mulheres são causados pela dor crônica e pelo risco de infertilidade.

Assim, mulheres com endometriose apresentam, com mais frequência, níveis elevados de ansiedade e depressão. Quadros estes que podem, inclusive, aparecer de forma concomitante.

No caso específico da dor crônica, pelo seu incômodo constante, ela pode ter como uma de suas consequências o Isolamento Social, outro desencadeador de Depressão e Ansiedade. Ora, para alguns autores, a depressão pode estar relacionada como um gatilho direto de aumento da dor, ao passo que, ter a experiência constante da dor, fragiliza emocionalmente a pessoa, podendo acarretar em quadros depressivos graves. Desse modo, a mulher com Endometriose pode acabar em círculo vicioso onde uma dessas condições acaba por influenciar e agravar a outra.

Por isso, a necessidade de um olhar mais abrangente para essa doença, que não apenas o físico. A Endometriose, como todas as doenças que ocasionam dores crônicas, precisam de um cuidado multidisciplinar, onde os aspectos físicos e emocionais possam ser cuidados em conjunto, possibilitando um enfrentamento mais positivo dessa doença por parte da paciente.

A terapia psicológica, ao ajudar essa mulher com os impactos emocionais dessa doença, auxilia na melhora de sua qualidade de vida, visto que, como muitos especialistas apontam, quando uma mulher é diagnosticada com Endometriose, vê sua vida tomada pelas questões que essa doença lhe impõem, ao mesmo tempo que se percebe cada vez mais fragilizada emocionalmente.

E, como sempre gosto de lembrar, pedir ajuda para enfrentar situações que nos trazem sofrimento, e que por algum motivo não estamos dando conta de lidar sozinhas, é um ato de extrema coragem e já um grande passo para a melhora emocional e, porquê não dizer, física.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s